Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English Español
A- A+

IBGE atualiza cálculo do Produto Interno Bruto e retrata com detalhe a economia do país

A atualização anual do Sistema de Contas Nacionais (cálculo do PIB), de acordo com as pesquisas econômicas e domiciliares do IBGE, o uso das informações do Imposto de Renda Pessoa Jurídica, o aperfeiçoamento do cálculo das atividades de governo e do setor de intermediação financeira são algumas das novidades da nova série do Sistema de Contas Nacionais, desenvolvida pelo IBGE com o objetivo de melhorar os indicadores sobre o desempenho da economia do país.

A divulgação da nova série do Sistema de Contas Nacionais ocorrerá em duas etapas. No dia 21 de março (quarta-feira), o IBGE divulgará os novos dados de PIB anuais de 2000 a 2005 e os resultados revisados de 1995 a 1999. E no dia 28 de março (quarta-feira), serão apresentados os resultados para os anos de 2004 e 2005, enquanto que para 2006 teremos o valor adicionado por atividade da Conta Trimestral e, também, uma revisão dos valores trimestrais divulgados para os agregados econômicos para o período 1990 até 2006.

O PIB calculado atualmente toma como base a estrutura produtiva em vigor em 1985 (último censo econômico). Já a nova série do Sistema de Contas Nacionais utilizará o ano 2000 como referência, e será atualizada anualmente, a partir da incorporação das pesquisas anuais da indústria, comércio, serviços, construção civil e domiciliares do IBGE. Essa base de dados utilizará, também, as informações anuais da Declaração Econômica-Fiscal da Pessoa Jurídica (DIPJ), os resultados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2003, do Censo Demográfico 2000, do Censo Agropecuário 1995 e da Pesquisa de Economia Informal Urbana. Antes eram investigadas 43 atividades econômicas e 80 produtos, e agora serão 56 atividades econômicas e 110 produtos.

A partir da mudança, muitas informações sobre a produção em si, que antes eram estimadas indiretamente, passarão a ser efetivamente contabilizadas. A estimativa do crescimento real do governo será aperfeiçoada e haverá uma ampliação das fontes de dados para calcular os serviços de intermediação financeira, incluindo fundos de aplicação e serviços auxiliares financeiros.

O ano 2000 foi escolhido como ano base da nova série porque as primeiras pesquisas estruturais econômicas anuais do IBGE disponíveis são a partir dessa data. A nova série vai de 2000 a 2005, com maior detalhamento de atividades e produtos para as Tabelas de Recursos e Usos e de setores para as Contas Econômicas Integradas. Para o período anterior a 2000, o IBGE criou novas Tabelas de Recursos e Usos (voltando até 1995) que pudessem ser encadeadas à nova série relativa ao ano 2000.

A nova série do Sistema de Contas Nacionais também atualiza conceitos e definições, introduzindo recomendações recentes das Nações Unidas e de outros organismos internacionais e passa a adotar uma classificação de atividades e produtos compatível com a Classificação Nacional de Atividade Econômica.

Em síntese, a nova série do Sistema de Contas Nacionais incorpora as seguintes ações:

  • nova classificação de produtos e atividades integrada com a CNAE e a Lista de Produtos da Indústria (Prodlist)
  • dados das pesquisas anuais contínuas realizadas pelo IBGE: Pesquisa Anual da Indústria (PIA), Pesquisa Anual de Serviços (PAS), Pesquisa Anual de Comércio (PAC) e Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC). Os resultados destas pesquisas foram integrados no SCN como referência para os valores correntes da parcela da produção coberta por estas pesquisas
  • dados da declaração de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (DIPJ) para complementar o universo e para a construção das contas das empresas
  • dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2002 como referência para o consumo das famílias
  • uso de software específico para contas nacionais permitindo a articulação direta entre as operações de bens e serviços e setores institucionais
  • desagregação dos trabalhos por modo de produção o que possibilita a realização de estimativas considerando determinadas características das unidades produtivas
  • desenvolvimento da metodologia de cálculo do consumo de capital fixo pelas Administrações Públicas e Instituições Privadas sem Fins de Lucro tornando com isso possível estimar seus valores de produção brutos
  • distribuição dos Serviços de Intermediação Financeira Indiretamente Medidos pelos utilizadores, possibilitando a eliminação do setor fictício Dummy Financeiro
  • atualização das metodologias de cálculo de índices de volume

Veja Notas Metodológicas com mais informações sobre a nova série do Sistema de Contas Nacionais

Comunicação Social

1 de março de 2007